O dia em que vi meu Sargento morrer.

Segue abaixo um rápido relato extraído do livro do amigo Carlos Augusto Campestrini de  São Bento do Sul, no texto um veterano da Força Expedicionária Brasileira narra o dia que viu o Sargento de seu grupo perder a cabeça com estilhaços de granada.

Participei das principais batalhas. Durante uma delas, estávamos avançando contra os tedesqui e nos protegemos atrás de uma taipa de pedra. O nosso sargento quis olhar através de uma fresta onde dava pra passar de lado. Eu disse pra ele não fazer aquilo que ia ser muito perigoso, no que ele me respondeu.”Carlini eu só quero dar uma espiada”. Quando ele se esticou, deu um estouro.

A cabeça dele saiu rolando e o corpo ficou em pé naquela fresta. Depois de deitarmos ele e colocarmos a cabeça em cima do pescoço, chamamos os padioleiros que o tiraram de lá. Eu tive que assumir o comando dos que estavam ali. Resolvi que íamos descer beirando a taipa, até termos uma posição melhor para o ataque. Nisso outro estrondo no meio da gente. 06 companheiros morreram na hora, e devido ao deslocamento de ar, a minha vista ficou turva.

Baixei no hospital. Depois de um tempo voltei a linha de frente.

Relato de Venicio Carlini

Fonte: São Bento do Sul na Segunda Guerra Mundial – Carlos Augusto Campestrini

Postagem original: http://segundaguerra.net/relatos-da-segunda-guerra-o-dia-em-que-vi-meu-sargento-morrer/

No votes yet.
Please wait...

Written by 

1 thought on “O dia em que vi meu Sargento morrer.

  1. Viveram horrores!!!!

    No votes yet.
    Please wait...

Deixe uma resposta